Teste AE
Elas
Teste Luis
Teste Diana
Primitive
artistas AE.png

Desde a sua estreia em disco, em 2011, os Amor Electro não têm parado de crescer, sendo, hoje, um dos principais projectos da moderna música portuguesa.

Com “Cai o Carmo e a Trindade”, Tiago Pais Dias, Rui Rechena e Ricardo Vasconcelos proporcionam a Marisa Liz, reconhecidamente uma das mais marcantes vozes da actual música portuguesa, o ambiente ideal para exprimir todo o seu talento, graças a uma personalidade única, onde modernidade e tradição, raízes populares e electrónica, colidem para darem origem a um som extremamente original, carregado de carisma, emoção e portugalidade.

Em cerca de dois anos e meio, os Amor Electro afirmam-se como uma força maior da cena músical portuguesa, chegam ao Disco de Platina, coleccionam prémios e distinções e esgotam concertos, uns atrás dos outros, um pouco por todo o país.

Com “(R)EVOLUÇÃO” não se acomodam à sombra de tudo o que conseguiram e, assumindo alguns riscos, exploram territórios onde ainda não se tinham aventurado, acrescentando a energia contrastante do Rock mais progressivo à vincada personalidade da banda, sem que a sua intensidade singular deixe de estar constantemente presente.

 

Os Amor Electro fazem parte da geração que estabeleceu a música moderna portuguesa e que perdeu a vergonha de cantar na língua de Camões. A sua mistura musical de pop-rock, aliada à honestidade da sua performance,  liberta espaço para a música crescer e respirar, permitindo a liberdade de movimento combinada com uma vocação íntima, apaixonada e genuína.

artistas_Elas.png

Aurea e Marisa Liz juntaram-se para um novo projeto e já têm um novo single. 'Eu Gosto de Ti' é o primeiro tema original desta união de forças (e de afetos) destas duas cantoras. 

 

Este projeto de nome ELAS junta duas das vozes mais acarinhadas e admiradas pelo público português. ELAS são duas mulheres, amigas e artistas, com anos de amizade e cumplicidade, partilham uma história em comum onde a música é o elo mais forte.

Foi com ela e dentro dela que cresceram.

 

É nela que vivem, com a mesma intensidade de quando começaram as suas carreiras. E como a vida é feita de conexões e de laços fortes, Aurea e Marisa Liz decidiram materializar esta ligação que as une num trabalho único, onde as emoções são enaltecidas.

artistas luis.png

Luís Sequeira  tem-se destacado pela sua versatilidade vocal e atuações memoráveis.

É um artista que procura honrar a música portuguesa atualizando e modernizando-a, não só com a sua voz jovem,  mas também pela abordagem de temas que nos tocam, que nos preenchem e que nos são comuns.

O primeiro single "Se ao menos eu te odiasse", atualmente a rodar na telenovela “Nazaré” já é  um sucesso digital, e figura no 3º lugar no TOP Viral 50 do Spotify.

artistas Diana.jpg

“Volta Para Trás” é o primeiro single de Diana Castro, que marca o início da sua carreira a solo.

A intérprete, que ficou em segundo lugar na última edição do “The Voice Portugal”, é reconhecida pelo talento e simplicidade que transmite na sua forma de cantar. 

“Volta Para Trás”, com lançamento marcado para dia 11 de Outubro de 2019, é uma música pop, cantada em português, com letra de Marisa Liz e Diana Castro, música de Marisa Liz e Tiago Pais Dias e produção musical deste último. 

artistas Filipa.jpg

Filipa Vieira nasceu em Lisboa e o Fado esteve sempre presente na sua vida.Desde pequena que o pai lhe cantava fados ao deitar, e aos 11 anos de idade estreou-se em público. “Tudo isto é Fado” e “Lenda Fonte” foram os primeiros fados que cantou. Recorda-se de que se esqueceu da letra, mas o episódio apenas lhe deu mais determinação e coragem para defender a sua vocação no palco. Considera Amália Rodrigues o astro maior do fado, é em Beatriz da Conceição que encontra uma referência pessoal. Desde então, Filipa Vieira frequenta o circuito das típicas casas de fado, associações e coletividades alfacinhas, equilibrando a vida artística com o percurso académico e profissional na área do Marketing. Aos 18 anos, fez parte do elenco do espectáculo musical do clássico do cinema português “A Canção de Lisboa”, de Filipe La Féria, levado a cena no Teatro Politeama. Foi a sua primeira experiência, muito marcante por ter trabalhado com importantes figuras da cultura nacional, tais como a fadista Fernanda Baptista, Manuela Maria, Anabela e, claro está, Filipe La Féria. O espírito inventivo, curioso e arrojado de Filipa Vieira levou-a em 2013 a integrar o elenco do espectáculo “Tablao de Fado”, uma mescla de dança contemporânea, flamenco e fado, com direção de Alexandra Batáglia no Teatro Ibérico, em Lisboa. A exploração sem preconceitos sempre fez parte da construção da sua identidade artística e, foi na sua adolescência, que se seduziu por sonoridades mais eletrónicas e experimentais. Filipa Vieira materializa agora o seu imaginário e percurso artístico numa visão única sobre o mundo e a figura feminina. "Passo Apressado" é o primeiro avanço para o projeto “Mesa de Freiras”, que será editado brevemente. Filipa leva o seu Fado numa incursão experimental, um caminho que faz acompanhada pelo produtor Tiago Pais Dias.

artistas jonas.jpg

Jonas é um artista multifacetado que encontrou no fado uma nova forma de expressão. Nasce a 6 de junho de 1986 em Sintra, onde ainda reside. Estudou na Escola Superior de Dança e no Chapitô. Desde muito cedo que descobriu o gosto pelo teatro e pela música. Na escola primária era o primeiro a ser apontado para desempenhar qualquer papel e era ele quem cantava e que depois os colegas seguiam. Participou em várias peças de Filipe La Féria e viajou até Londres onde cantava Fado. Tornou-se mais conhecido do grande público quando em 2007 fez parte da 3ª edição do programa Operação Triunfo, tendo-se classificado em 8º lugar. Foi elemento do coro que acompanhou Vânia Fernandes no tema Senhora do Mar, com que venceram o Festival da Canção 2008. Naturalmente representaram o nosso país no certame eurovisivo desse ano, com passagem à grande final, tendo ficado em 13º lugar. Ainda em 2008 participou também no musical Fame, no Teatro Tivoli. Depois disso esteve envolvido em vários projetos como por exemplo os Rosa Negra, do qual foi vocalista e editou com eles o magnífico disco Fado Mutante em 2011. Outro dos seus projetos foi o Sinistra, que em 2015 levou o Fado até à belíssima vila de Sintra, no qual participou em vários espetáculos. Desde 2011 que faz parte do projeto Jonas & Lander, com o seu companheiro Lander Patrick, onde formam vários espetáculos que misturam o canto, a representação e a dança. Têm atuado não só por todo o país, como também no estrangeiro.